sexta-feira, 15 de agosto de 2014

O barqueiro




"Importa saber? Invento o meu caminho, este é o meu lema". Às margens dessa filosofia modelada em botequim, Tão Preto olha pela janela e pensa numa cerveja gelada, mas, ao conferir o relógio, se dá conta que ainda são três horas e, num gesto de perdão a si mesmo, diz aos seus botões: “É cedo para fundir copos e mulheres num terno abraço, deixemos a tarde cair sem muito esforço, pouco a pouco, incendiando-se completamente até as ave-marias. Sem tugir ou mugir, ela se levantará amanhã no mesmo horário, refeita.”
Sente uma lufada de vento que invade a sala, uma reunião de vozes no corredor do escritório e, como um rio longo, solta uma baforada de fumaça. Depois fica olhando-a perder-se no ar.
“Não te choro, oh tarde, mas posso oferecer-te, sem nenhuma solenidade, além da minha saudade inútil, um copo de cerveja. Só o nosso sangue é que nos salva", Tão diz para si mesmo. 
E depois, inspirado, quebra de vez a mudez em que a tarde o deixara mergulhado: “Hoje, com ou sem aliteração, não deixarei que nenhum morcego sugue meu sangue. Esquecerei as rugas e, antes que qualquer borra se agarre ao meu corpo, erguerei o cálice em saudação à noite... Evoé, Baco!”
E antes de perder o resto da pureza que ainda guardava dentro de si, Tão Preto pergunta outra vez à tarde se não gostaria de acompanhá-lo, se dizendo o barqueiro que se faz ao mar. 

(José Carlos Sant Anna)

Visite o meu outro blog  
www.souhospededoasturias.blogspot.com.br

Visite o site da Quarteto Editora 
ww.editoraquarteto.com.br



9 comentários:

  1. [ "Evoé, Baco!” (melhor assim)
    vazia, a cidade fica intransitável !!!]

    beij0

    ResponderExcluir
  2. Nada como um delírio n'uma tarde fugidia JCarlos
    para isso que serve a utopia ...
    abraço

    ResponderExcluir
  3. Que não se apresse o entardecer da tarde. Ela ajoelhar-se-á inevitavelmente à hora das ave- marias pedindo noite e descanso, para voltar depois a cumprir-se esbelta e refeita.
    Tão Preto sabe que "o sangue é que nos salva", ou seja tudo o que se nos projecta em corpo, sem rugas ou com elas. E a tarde entenderá e acompanha-lo-á sempre. Basta que depois de qualquer dúvida ou aborrecimento momentâneo, ele assim o deseje.
    Gostei do texto, José Carlos, mas nem sei se o li bem...:-)
    xx

    ResponderExcluir
  4. Gostei do Tão Preto, gosto muito dessas tacadas filosóficas, alguém pensando alto com os seus botões, diante de um copo (garrafas) de cerveja...Parabéns, Tão Preto, mas, você não seria nada sem o José Carlos...
    Gostei!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Tão Preto a nos ensinar através das palavras de seu descobridor . Adorei , José Carlos . Obrigada . Beijos

    ResponderExcluir
  6. O que importa realmente? Alguém o saberá? Porventura não seremos todos enganados pelas sombras projetadas na caverna conforme a alegoria do pai da filosofia?

    Tão Preto, do seu infinito discernimento, deixa que a tarde se instale até que a noite a venha buscar, sem pressas. Afinal...tudo tem seu tempo.

    Nós é que complicamos ao querer que os nossos sonhos sejam regra.

    Que venha o barqueiro, o mar tem mais marés, uma será a certa.

    Gosto da sabedoria particular do Tão.

    Um beijo para ele.

    ResponderExcluir
  7. Com meu carinho de sempre venho agradecer
    as palavras reconfortantes deixadas no meu blog.
    Tudo isso me leva pra frente dizendo
    continue ainda existe quem te quer bem do outro lado da telinha.
    Ando protelando meu afastamento por
    conta de pessoas tão importantes para mim como você é ,
    a um longo tempo caminhando comigo.
    Eu sou humilde demais , eu amo demais ,
    eu me envolvo demais , eu luto demais ,
    talvez seja essa garra que deixa
    gente brava outras feliz e tão contente.
    Hoje venho te pedir uma gentileza.
    Apesar dos meu quase 10 anos de blog
    por algumas vezes termino entrando
    em alguma coisa , que me deixa feliz em participar
    a mais de 5 anos deixei de participar de tudo nos blogs
    por perder o encanto por muita coisa.
    Veio o convite eu fui tentar ser poeta por um dia
    hoje peço seu voto
    se achar que meu poema vale seu voto.
    Nome do meu poema?
    "Você é minha Poesia"..
    Endereço para votar.
    http://ostra-da-poesia-as-perolas.blogspot.com.br/
    È complicado pra mim pedir voto,
    pois sempre achei que merece ganhar sempre
    todos os pemas.
    È lindo mesmo que seja um único pensamento.
    Caso for votar é votar e confirmar seu voto
    é complicado ,
    mais acredito no seu potencial de
    votar e de escolher.
    Um abraço cheio de carinho.
    Evanir.
    PS.Quando terminar farei uma
    postagem como o nome de todos amigos
    que confiaram em mim seu voto.

    ResponderExcluir
  8. Boa noite Jose Carlos.
    O dia é algo valioso, a manha tem o seu chame, a tarde também, a noite é muito especial. Tão Pedro sabe saborear a tarde sem pressa a espera da noite.
    Um feliz final de semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir