segunda-feira, 7 de julho de 2014

A copa, o copo e a bola – II






Ainda ontem, antes de passar de costas para o mar, porque a ressaca estava assustadora, perguntei a Tão Preto quem eu sou. Este não me respondeu, dizendo-me apenas que anoitecia dentro e fora dele. Depois me olhou bem dentro dos olhos e me disse que o jogo seria difícil, tão difícil quanto incerto o resultado, só não estava previsto na sua cartilha de vidente que o ídolo do escrete nacional se machucaria tão seriamente a ponto de afastá-lo do restante da competição. Como eu estava me lixando para suas preocupações em torno de uma bola, disse-lhe, soletrando cada sílaba, que o inverno estava me deixando com febre, com os lábios secos e as minhas pálpebras clamavam por um poema sem nenhuma gota de melancolia. Dei um tempo para mim mesmo e me perguntei, em seguida, como seria contar a saga de um bêbado, embrulhando-se na bandeira brasileira, com a língua igualmente enrolada de espanto depois de ter visto a sua seleção eliminada da copa. Como isto não aconteceu, deixei que os bêbados perambulassem pelas ruas e pela minha imaginação, enquanto eu aguardava a próxima refrega, abastecendo também o meu refrigerador porque sou de carne e osso.
(José Carlos Sant Anna)

Visite o meu outro blog  
www.souhospededoasturias.blogspot.com.br


Visite o site da Quarteto Editora 
ww.editoraquarteto.com.br



4 comentários:

  1. Eu vou preferindo o copito, deitando um olhar mais ou menos discreto, à copa e à bola. Ou melhor... à assistência.

    Tudo de bom.

    ResponderExcluir
  2. Tão Preto, na sua infindável sabedora, sente a noite chegar, qual profeita, adivinho, vidente ou qualquer outra coisa adivinhatória.

    Por aqui o jogo corre muito mal para o Brasil, lamento.
    Não sou dada a futebol, mas 5-0 por agora...é vergonha inexplicável.

    Voltando a Tão Preto: são certeiras as inquietações do seu eu. O interlocutor se interessa, mas a consciência das prioridades muito práticas nos leva a pensar nesta dualidade onde a inconsciência e o coletivo se misturam.

    Que a febre se acalme, os lábios se hidratem num beijo e Tão Preto vá dar um passeio na altura do jogo para não sofrer enfarte.

    Um beijinho

    ResponderExcluir
  3. Querido José.
    Estou pasma, primeiro com 7 a 1, só bebendo mesmo para acreditar rsrs, por em sã consciência fica difícil rsrs,passando o choque, caiu a ficha,mas inocentemente pensei pelo menos ficará no terceiro lugar, mas ao começar assistir o jogo,desisto, já no começo 2 a O, isso é demais , finalmente desistir rsrs.
    Um feliz fds.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Eis uma crônica escrita por um poeta.

    ResponderExcluir