domingo, 20 de abril de 2014

Polifonias II




I.
de inefáveis motes
corações abstratos
e febres loucas


II.
Dizes-me confusa
digo-lhe cafuzo

É o que sou
da cabeça aos pés
até a glande
não esconde
minha origem
afrodescendente

Dizes-me confusa
digo-lhe cafuzo

É o que sou
dos pelos à pele
um cafuzo penitente

branco
só os dentes.

III
quando
menos se espera,
furtivo,
o mote arranha
a porta,
redime-se da recusa
e suga os cupins.

IV
nada,
à parte o todo,

e, sem toldar-me
a parte do todo,

toldo-me em febre
pelo corpo todo.

(José Carlos Sant Anna)

Visite o site da Quarteto Editora

e o meu outro blog

12 comentários:

  1. [a febre da rima
    que arde
    e se abre
    quando a pele queima]

    beij0

    ResponderExcluir

  2. polifonias para motins de silêncio?

    beijo, admirado poeta!

    ResponderExcluir
  3. Uma melodia Carlos
    Dizem que sentir é intimo e portanto incompartilhável e não há padrão, cada um sente de uma maneira.
    Portanto fico é em 'febre pelo corpo inteiro' rs como seu verso final.
    Lindíssimo amigo ,
    deixo abraços

    ResponderExcluir
  4. stou embaralhado em sons, sim, fonia II


    abraço II

    ResponderExcluir
  5. Da loucura passando pelo cafuzo (fazes-me andar no dicionário) de mote sempre pronto vem o todo em partes que se reunem em sinfonia melodiosa, prosto-me em febres que as tuas letras oferecem.

    Beijo.

    P:S. Cupim é térmita?

    ResponderExcluir
  6. Oi Carlos
    Estou comemorando cinco anos do 'flor de lis' como faço todo ano publicando pedacinhos dos blog's amigos para marcar os dias que antecedem a data _ quando der passa lá e veja como ficou bonito seu poema e seu carinho,
    deixo abraços

    ResponderExcluir
  7. " nada,
    à parte o todo,

    e, sem toldar-me
    a parte do todo,

    toldo-me em febre
    pelo corpo todo.

    Um jogo de palavras delicioso.
    É sempre um prazer te ler, José Carlos.

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  8. José Carlos , é tão bom vir ao seu espaço e encontrar sempre uma escrita fascinante . Beijos

    ResponderExcluir
  9. Super interessante, esse poema!
    Adorei.

    Beijo

    ResponderExcluir
  10. Relendo e deixando aquele abraço de fim de semana_ sem pressa rs

    ResponderExcluir
  11. Que vozeirão! Polifonias de tirar o fôlego....

    Beijo, caríssimo*

    ResponderExcluir
  12. OI JOSÉ CARLOS!
    BELEZA, SENTIMENTOS E RIMAS, REUNIDOS EM PALAVRAS QUE SE ENCAIXAM E BRILHAM...
    MUITO BONITO.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir