terça-feira, 26 de novembro de 2013

Outro metaplágio para a poesia de Adília Lopes

             foto arquivo pessoal

Mal me acordo
arrasto  a mão
para cabeceira da cama
atrás da poesia de Adília Lopes,
que me espia desconfiada
escondendo os biscoitos maria
para que eu não os devore
sem freios.

Duro no trato, sem cerimônia,
apanho-a no laço
e depois de desposá-la
descubro que sou o que não pareço
e sob uma chuva escura
deito-me sobre anáforas e assíndetos

E numa nudez
sem perdão
atravesso a espessura
do papel tocando a pele das palavras
de modo imperativo, 
instantâneo,
muito além dos joelhos e das ancas
que o vestidinho floral
em rebuscado anonimato
camufla.  

(José Carlos Sant Anna)


16 comentários:

  1. o vestidinho floral desnudando as ideias?

    adoro teu jeito de tecer a lira como quem padece de um bem!

    beijos, poeta admirado!

    ResponderExcluir
  2. Que lindo! a palavra é esse sopro que vem das tuas mãos e assanha nossa alma em modo verbal ou talvez na grafia fria de uma página recolhida de outra poesia;
    tenho adornado com palavras meus dias e encanta-me estar aqui a apreciar sua inspiração no colóquio com Adília Lopes.
    Meu coração fotografa o que leio e ficou lindo!Parabéns Carlos

    ResponderExcluir
  3. Belo texto...muita sensibilidade...ao seguir a linha poética..com tanto cuidado!!abraços

    ResponderExcluir
  4. Que bom que eu passei por aqui e pude "atravessar a espessura do papel e tocar a pele das palavras" antes de dormir...
    Menino, lindo demais. Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Um texto onde o erotismo espreita.

    Muito poderoso!

    Gostei muito!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. de modo imperativo ela se impõe: digo a poesia


    abraço

    ResponderExcluir
  7. lindo.. gosteiii parabens lindas palavras .. beijinhosss
    voltareii ...

    ResponderExcluir
  8. Lindo esse poema, amei!
    Gosto muito de Adília, e vc acertou em cheio.
    Beijo pra vc

    ResponderExcluir
  9. Arrebator seu poema , José Carlos . Sua escrita nos faz melhores . Obrigada . Beijos

    ResponderExcluir
  10. Bom dia Jose Carlos.
    Poesia que nos intriga e muito bem elaborada.
    Belo gosto.
    Um ótimo final de semana.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Menino poeta, tua lira é suavemente arrojada: nossa, como gosto!

    Beijos,

    ResponderExcluir
  12. Está muito lindo este magnifico poema,parabens ao grande poeta!! Desejo um excelente fim-de-semana!! Beijinhos dados com carinho!!

    ResponderExcluir
  13. Foi muito bom reler esse belo poema...
    José Carlos, você sabe ver através dos véus, quando faz um comentário, entendeu?
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Lindo dia Jose Carlos.
    Estou de volta para lhe desejar um més de realizações,que possa realizar neste ultimo mês do ano todos os seus projetos de 2013.
    Um ótimo domingo.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  15. Evoé! Todo este acorde é um estouro, mas me debrucei nestes versos: "deito-me sobre anáforas e assíndetos... "

    Outro beijo de quem te admira.

    ResponderExcluir
  16. Já por aqui passei, mas este metaplágio me piscou o olho de novo.

    Deve ser da mão na nudez dum amanhecer amoroso onde o vestidinho seduz, ou será do padrão florido?

    Beijo

    ResponderExcluir