sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Entre favos de mel e morfina


"Por onde anda este menino?"

A redação diz que não sabe
por onde o menino anda

São cartas e mais cartas  sem resposta
nas páginas do jornal.

Mas por saber 
que o amor não fala
é que lhe digo:

o menino arde em vagens
ou anda pela vastidão
querendo descobrir
o lugar onde esperar-te

Ou fugindo de pesadelos, 
de sonos demorados, 
de sonhos vagos

Ou inscrevendo 
o teu nome numa rosa
quando não enlouquece. 

(José Carlos Sant Anna)


16 comentários:

  1. [E todos os versos
    parecem ciganos
    nômades encantos
    baianos]

    beij0

    ResponderExcluir
  2. Uma dívida sem resposta.

    Nem sei o que dizer.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. " eu esperava por ti
    e tu não vinhas
    tardavas
    e eu entardecia...'
    _ ah os meninos poetas !
    e os percursos que fazem suas palavras nos nossos corações!
    Gostei muito Carlos , lambuzei-me nesses favos de mel. rs
    meu abraço

    ResponderExcluir
  4. Bom dia José Carlos.
    Entre favos de mel e morfina,
    Entre a alegria e a dor,aonde estará este menino ?
    Um lindo final de semana.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  5. poema lindo demais que dói!

    beijos, meu admirado poeta!

    ResponderExcluir
  6. Parece que o menino sumiu por amar demais...Beleza de versos, querido amigo José Carlos. Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Olá José Carlos!

    Que poema bonito, li e voltei a ler...
    Pairou uma "dúvida aquiliana" dentro de mim...
    Porquê entre favos de mel e morfina?...
    ...
    E depois como gosto de brincar com as rimas, saiu-me assim:

    "Eu estou aqui
    no meio da vastidão
    A esperar por ti"

    Bj com muita amizade

    ResponderExcluir
  8. Oi Carlos
    Fui ver seu outro blog , vamos atualizar?
    rs
    deixei lá um comentário _ gostei do estilo que permite devanear.
    fica um abraço

    ResponderExcluir
  9. Ah, aproveitando, descaradamente, gostaria de lhe convidar a conhecer meus livros, que estão disponíveis gratuitamente e lhe pedir, se possível, uma ajuda para divulgá-los: Meus Livros Grátis.

    Obrigado!

    ResponderExcluir
  10. Entre favos de mel
    E morfina
    O menino alucina

    ...

    Beijo, caríssimo poeta!

    (Ler-te é um prazer à parte)

    ResponderExcluir
  11. Forte, esse poema!

    Cris tem toda razão!

    Beijo

    ResponderExcluir
  12. Bom dia Jose Carlos.
    Dei uma passadinha para lhe agradecer pela suas palavras,me fez ver que embora presente poderia está ausente justamente com as pessoas que eu mais amo.
    Estava sempre sendo apoiada,mais sera que estava apoiando.
    Decidir por uns dias não sei quantos ,largar o meu trabalho,a rede social e me dedicar as coisas importante da minha vida.
    Uma ótima semana.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  13. José: o menino vive sempre..mesmo quando adormece num canto da vida...adorei esse jogo poético.abraços a ti nessa manhã de quarta-feira.

    ResponderExcluir
  14. O menino, o menino é um verbo aceso
    e não para nunca...

    Um abraço!

    ResponderExcluir