segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Ensaio para um beco sem saída






Este relevo precário, obscuro,
[verdade última do meu sangue],
Corpo sem alma,

Impossível içá-lo do fundo do poço:
queima a cada gesto ao fazê-lo

Este relevo envelhece sem perdão
e mergulha suas raízes mais fundas nas águas

[atravessadas quase sempre
por esta falsa claridade]

Sigo quaisquer retas sem culpa
pelos meandros dos caminhos
enviesados.

E as línguas de areia me acolhem 
cúmplices, intrincadas, 
                    abrem-me portas,
sem que nada impeça as palmas.

Em qualquer parte 
as pequenas variantes:
vento, memória, ruína, esperança...

E há sempre palavras azuis 
descendo às fontes e sugando a seiva,

[alimento sem o qual 
este barco nunca se faria ao mar].

E semeio a tua pele em terra úmida
porque sempre estou aqui:
alegria ou morte.

(José Carlos Sant Anna)

 

9 comentários:

  1. E que tez não possui a cor furta do tempo!?

    Belíssimo!!

    Beijo, poetíssimo Zé!

    ResponderExcluir
  2. vento, memória, ruína, esperança...

    coisas que nos atravessam nas palavras

    abração

    ResponderExcluir
  3. E as línguas de areia me acolhem
    E há sempre palavras azuis
    E semeio a tua pele em terra úmida
    porque sempre estou aqui:
    alegria ou morte.

    vento, memória, ruína, esperança...

    Do teu poema diz recortes, mas ele todo perpassou por recantos de singularidades pelas quais me identifico.

    Abraços, poeta


    ResponderExcluir
  4. Palavras azuis - consoladoras - trazem a inspiração.
    Muito bom o poema, José Carlos.

    Abraço grande.

    ResponderExcluir
  5. Esse é um dos poemas que põe a gente calado por um instante.

    ResponderExcluir
  6. Belíssimo, José Carlos. Não sei como nunca perguntei isto: você tem um livro de poemas? Como faço para adquirir? Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Água, fogo e morte. Tenho muita sorte em poder ler teus versos. É como um regresso a um lugar já esquecido.

    Beijos, querido!

    ResponderExcluir
  8. Ventos que as velas do navio
    não cortam.

    Abraço!

    ResponderExcluir