quarta-feira, 26 de junho de 2013

Poeminha para o final da tarde



Ao entardecer, 
depois do banho, 
ela se sentou 
em frente 
ao portão, 
como 
antigamente, 
tomando sorvete 
enquanto 
aguardava 
a felicidade. 

Ela passou 
e a encontrou 
com as duas 
mãos 
ocupadas.


5 comentários:

  1. as mãos estavam ocupadas porque teciam justamente esse momento!?

    Beijo, amigo poeta!

    ResponderExcluir
  2. O poeminha apropriado para um fim de tarde.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. assim, assim
    ela floria
    carmim
    na estação

    abraço

    ResponderExcluir
  4. justo nesse momento
    a felicidade
    não encontrou as mãos
    que procurava

    Abraço grande.

    ResponderExcluir
  5. Quem passa, quem fica...
    Tantas estórias para contar, José Carlos!

    Abraço

    ResponderExcluir