quarta-feira, 29 de maio de 2013

Lição de vida



O jumento empacou no barranco quando passava pela porta de D. Milu. Quando meu pai viu a cena, gritou pela cerca que atravessava o quintal da vizinha para chicoteá-lo, aí quem empacou fui eu. O jumento carrega quatro barricas de água no lombo, comigo na canga, e meu pai me pede para chicoteá-lo, eu não entendi e, também, não obedeci. Éramos dois animais empacados, pois eu não sabia como descer do lombo do bicho, subi carregado, só poderia descer dali tirado por alguém, era esperar pelo velho e aguentar no meu lombo o que viria de castigo por não saber conduzir o animal. Mas ele devia estar ocupado com a minha mãe porque não veio me tirar de cima do bicho e fazê-lo subir o barranco. Só mais tarde eu aprenderia com Ibrahim Sued que jumento não sobe escada.


11 comentários:

  1. Dilemas da vida, JCarlos.

    Abraço dos grandes.

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a narrativa, as imagens e o desfecho. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Lição de vida, ou o elogio da ingenuidade. :)
    Gostei muito, José Carlos!

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Amigo,

    É o trecho de um livro ou escrita tua?
    Menino corajoso, salvo por pouco.
    Sabedoria e sentimentalidades da infância.

    Adorei ler.

    ResponderExcluir
  5. P.S: A poesia que leu hoje em PALAVRA DE MULHER estava ainda sem imagem. Qdo tiver tempo reveja.
    Tbém sentimento de infância, no Começo do Mundo.

    Abs,

    ResponderExcluir
  6. Será mesmo camoniano, esse sonetinho?
    Não sei se chega a isso, mas de qualquer modo, obrigada.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. José Carlos,
    Já recebi o livro, vou lê-lo com particular atenção.
    Gratíssimo.

    Abração

    ResponderExcluir